A fábula Novo Testamento
Jesus o falso Messias de Roma

Histórias ridículas - mulher humilhada até a morte


Ló, o homem justo da bíblia, oferece suas duas filhas virgens para serem estupradas por um grande grupo de homens no lugar de dois hóspedes estranhos.
Era "justo", mas não honrava a família, eram anjos? Acorda povo, claro que não.
Na suposta destruição de Sodoma e Gomorra, Ló, sobrinho de Abraão, foi o escolhido para ser poupado junto com sua família por ser especialmente correto.
Dois "anjos", em forma de homens, foram enviados a Sodoma para avisar Ló e dizer que ele saísse da cidade antes da destruição.
Ló recebeu os tais com hospitalidade, e então os homens de Sodoma reuniram-se em torno da casa dele e exigiram que Ló entregasse os "anjos" para que eles pudessem sodomizá-los (manter relações sexuais).
“Onde estão os homens que vieram para tua casa esta noite? Traze-os para que abusemos deles” (Gênesis 19, 5). Ló recusa à exigência mas joga a honra da sua familia na lama:

“Não, meus amigos! Não façam essa perversidade! Olhem, tenho duas filhas que ainda são virgens. Vou trazê-las para que vocês façam com elas o que bem entenderem. Mas não façam nada a estes homens, porque se acham debaixo da proteção do meu teto” (Gênesis 19, 7-8).
Porém a oferta que Ló fez da virgindade de suas filhas mostrou-se desnecessária, pois os anjos conseguiram afastar os agressores cegando-os por milagre. Eles então advertiram Ló para que partisse imediatamente com sua família e seus animais, porque a cidade estava prestes a ser destruída.
E assim eles escaparam, com a exceção da mulher de Ló, que o Baal (Senhor) transformou num pilar de sal porque cometeu uma grande ofensa, olhou para trás para ver a chuva de fogo.
As duas filhas de Ló, depois que sua mãe foi transformada num pilar de sal, foram morar com o pai numa caverna, no alto de uma montanha.
Então decidiram embebedar o pai e manter relação sexuais com ele.
Ló não teria percebido sua filha mais velha chegar à sua cama nem quando saiu dela, mas não estava bêbado demais para engravidá-la.
Na noite seguinte as duas filhas combinaram que era a vez da mais nova. Novamente "Ló estava Bêbado demais para perceber", e a engravidou também (Gênesis 19, 31-36).

A história de Ló retorna no capítulo 19 do livro dos Juízes, quando um levita (líder religioso) não identificado, viajava com sua concubina e um escravo em uma região próxima à antiga Jerusalém.
Praticamente duas historias iguais, como teria acontecido com Abraão e Isaque, pois ambos tiveram suas esposas lindas raptadas.
Eles passaram a noite na casa de um velho hospitaleiro. Enquanto jantavam, os homens da cidade chegaram e bateram à porta, exigindo que o velho entregasse seu convidado para que pudessem abusar sexualmente dele.
"Traga para fora o homem que entrou na sua casa para que tenhamos relações com ele" - Juízes 19:22
Então o velho hospitaleiro repete as mesmas palavras de Ló:
“Não, irmãos meus, não façais semelhante loucura, aqui está minha filha virgem e a concubina do meu hóspede. Eu as trarei para vocês, e vocês poderão usá-las e fazer com elas o que quiserem. Mas nada façam com esse homem, não cometam tal loucura!" - Juízes 19, 23-24.

Era uma loucura com os homens, mas com a filha estava tudo bem “poderão usá-las e fazer com elas o que quiserem, humilhem, estrupem, mas mostrem o devido respeito por meu convidado", afinal de contas, é homem e deve ser respeitado.
Apesar da semelhança entre as duas histórias, ao contrário do que aconteceu com as filhas de ló, o desfecho para a concubina do viajante foi trágico. O viajante a entrega à multidão, que a estupra coletivamente a noite inteira:
“E eles a forçaram e abusaram dela toda a noite até pela manhã; e, subindo a alva, a deixaram. Ao romper da manhã, vindo a mulher, caiu à porta da casa do homem, onde estava o seu senhor, e ali ficou até que se fez dia claro” - Juízes 19, 25-26
De manhã, o viajante (um homem de Deus) encontra a concubina prostrada na porta e diz, com o que hoje consideraríamos de uma aspereza insensível: “Levanta-te, e vamos”. Mas ela não se moveu. Estava morta. Então ele “tomou de um cutelo e, pegando a concubina, a despedaçou por seus ossos em doze partes; e as enviou por todos os limites de Israel”. Juízes 19, 29

De novo aparece o numero 12:
12 tribos, 12 pedras do jordão, 12 filhos de Jacó, 12 discipulos do baal jesus cristo, 12 sígnos....etc

Na lei alguem escreveu:" As bruxas não deixarás viver, neste caso, me parece que para os bruxos estava tudo bem, o problema era com as mulheres.
E por causa deste escrito, na idade média muitas mulheres foram acusadas de serem bruxas e foram queimadas na fogueira.

Comentários